NOTA DA USE SOBRE DISCUSSÕES POLÍTICO-PARTIDÁRIAS NO MOVIMENTO ESPÍRITA

“[…] Devo ainda vos chamar a atenção para outra tática de nossos adversários: a de procurar comprometer os espíritas, induzindo-os a se afastarem do verdadeiro objetivo da Doutrina, que é o da moral, para abordarem questões que não são de sua competência e que poderiam, com toda razão, despertar suscetibilidades e desconfianças. Também não vos deixeis cair nessa armadilha; afastai cuidadosamente de vossas reuniões tudo quanto disser respeito à política e às questões irritantes; nesse caso, as discussões não levarão a nada e apenas suscitarão embaraços, enquanto ninguém questionará a moral, quando ela for boa. Procurai, no Espiritismo, aquilo que vos pode melhorar; eis o essencial. Quando os homens forem melhores, as reformas sociais verdadeiramente úteis serão uma consequência natural. […]  Allan Kardec Revista Espírita, fev. 1862.

A menos de um mês das próximas eleições, que ocorrerá no dia 02 de outubro, os ânimos se acirram e as discussões crescem, comprometendo os espíritas a se afastarem do verdadeiro objetivo da doutrina, como nos recomenda o insigne Codificador Allan Kardec na mensagem acima.

A situação se agrava quando, nas lides do movimento espírita da USE, dirigentes incautos postam nas redes sociais, supostas mensagens mediúnicas e abaixo-assinados contra ou a favor deste ou daquele candidatos, causando indignação de partes opostas, criando cisões e afastamento do trabalho de Unificação.

As instituições espíritas, em sua maioria, trazem nos seus estatutos a condição “apolítica e apartidária”, bem como não ter qualquer discriminação de cor, raça, sexo, credo etc, pois a missão do Espiritismo é atender a toda Humanidade, e não apenas a um grupo de pessoas.

Além disso, a doutrina espírita sempre alertou a respeito de pseudorrevelações, principalmente no que se refere à missão de homens e mulheres. O verdadeiro missionário desconhece a sua missão.  No estágio em que se encontra a Terra, composta por pessoas com dificuldades a serem vencidas, ainda sujeitas a erros e enganos, é um equívoco apontar alguém como um “missionário”.

A USE não recomenda que as instituições espíritas se posicionem politicamente contra ou a favor de qualquer candidato, constrangendo os que frequentam ou mesmo os que acompanham as atividades do centro espírita.  O dirigente espírita por sua vez, precisa também ter cuidado em suas exposições político-partidárias, pois são pessoas públicas e representam instituições ou órgãos de unificação.

Todos têm o direito de se expressar, mas quando estas posições causam conflitos, geram discórdias e favorecem a polarização, colocamos interesses outros à frente da causa espírita.  

Kardec orientava os espíritas agirem com moderação, vencendo as provocações, que são armadilhas para desviar da verdadeira Missão dos Espíritas que é aprimorar-se moralmente, vivenciar na prática da sua conduta os ensinos dos Espíritos Superiores e zelar pela divulgação do Espiritismo.  

São Paulo, 16 de setembro de 2022

UNIÃO DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS DO ESTADO DE SÃO PAULO     

8 pensamentos

  1. Excelente esclarecimento aos espíritas que nestes tempos se esquecem do nosso propósito na Terra frente aos postulados da Doutrina Espírita, claramente expostos por Allan Kardec.

  2. Oportuno o comunicado. Apenas acrescentaria a falta de conhecimento doutrinário de dirigentes espíritas ao divulgarem comunicações apócrifas, como algumas que se espalharam na antevéspera do dia 07 de setembro, atribuídas a Bezerra de Menezes, claramente apoiando a campanha do candidato que se apoderou de um dia tão importante para todos nós brasileiros – todos nós!!!!

  3. Boa noite, concordo plenamente, se conhece um Espírita pela sua moral. E é dando exemplo, todos nós temos o nosso livre arbítrio, mais não temos o direito de envolver a Doutrina de Jesus. Muita Luz, muita paz 🙏🙌

  4. Somos todos irmão, filhos do mesmo pai, cometendo equívocos como todos, por isso não julguemos e não critiquemos a nenhum dos candidatos, até porque enquanto Cristãos que somos, seja qual for o candidato que ganhar é nosso papel orar, e vibrar pelo Presidente da nossa nação, para que compreenda suas responsabilidades espirituais diante de todos e de si mesmo..

  5. Parabéns a USE de alertar ,sobre o não envolvimento de nós espíritas, nas discussões política partidária, de nosso país.

  6. Excelente esplanação, lúcida e sensata para o momento grave, onde muitos se esquecem de fazer o que o mestre nos ensinou, vigiar e orar!

Deixe uma resposta